Benefícios de transviadas

Benefícios de transviadas

As chamadas “Récitas de Benefício”, cujas receitas revertiam, na totalidade ou em parte, para o nome ou associações beneficiantes, eram uma instituição no século XIX – em São Carlos e nos teatros de toda a Europa. Os maiores artistas chegavam a incluí-las em contrato, pois poderiam constituir um aumento significativo de receita.

Estas récitas especiais não beneficiavam, no entanto, apenas os artistas de palco e estendiam-se a inúmeras instituições de cariz social. Se seguirmos a lista das Récitas de Benefícios realizadas no decorrer de representações da La traviata em São Carlos constataremos que eram por elas beneficiados também muitos dos trabalhadores com funções mais modestas no teatro:

– 5 de Novembro de 1855 – Beneficiado Não identificado;

– 3 de Dezembro de 1855 – Benefício do Fiscal do Guarda Roupa;

– 14 de Janeiro de 1856 – Benefício da Associação dos Professores de Música;

– 10 de Março de 1856 – Benefício do Camaroteiro;

– 10 Fevereiro de 1857 – Benefício de Giovanni Franchini;

– 14 de Fevereiro de 1859 – Benefício do Real Conservatório:

– 3 de Março de 1860 – Benefício de Elisa Hensler;

– 28 de Fevereiro de 1861 – Benefício da Infância Desvalida do Campo Grande;

– 10 de Novembro de 1862 – Benefício do Bilheteiro;

– 20 de Janeiro de 1863 – Benefício do Asilo da Infância Desvalida;

– 19 de Março de 1864 – Benefício de Angelina Peralta:

– 3 de Novembro de 1864 – Benefício do Bilheteiro;

– 19 de Novembro de 1864 – Benefício do Camaroteiro;

– 29 de Março de 1870 – Benefício de Ida Benza;

– 8 de Fevereiro de 1873 – Benefício do Montepio dos Actores Portugueses;

– 25 de Janeiro de 1875 – Benefício do Camaroteiro;

– 8 de Março de 1875 – Benefício do Cofre dos Actores Portugueses;

– 8 de Março de 1880 – Benefício do Montepio dos Actores Portugueses;

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *